5 dicas para negociar a dívida do cartão de crédito

A dívida com o cartão de crédito é uma grande dor de cabeça para qualquer um. Por isso, é essencial saber negociar a dívida do cartão de crédito com o seu banco.

Nesse post, indicaremos cinco dicas essenciais para que você consiga negociar sua dívida com o cartão de crédito, se livrando assim, de uma enorme dor de cabeça que é passar por essa situação.

1 – Saiba quanto você deve

Parece besteira, mas ter em mente quanto exatamente você deve é o principal para pensar nas estratégias de negociação da sua dívida. Faça todas as contas, não deixe nada passar. Também é importante saber o quanto de dinheiro você possui no momento, assim, fica mais fácil inicar uma negociação, pois saberá quanto você poderá gastar para pagar a dívida.

2 – Negocie um valor melhor

A dívida, quando acumulada, atinge um valor exorbitante! Contudo, ligando para o banco ou até mesmo visitando o seu gerente na agência, é possível negociar uma dívida muito mais baixa que o valor atingido anteriormente. Não precisa justificar o motivo pelo qual você está devendo, o simples interesse em quitar a sua dívida já é um ponto a seu favor, e muito importante.

3 – Pague à vista ou em parcelas fixas

Pagar o valor total, à vista, em muitos casos pode ser um ponto muito favorável. Os descontos para os pagamentos à vista são enormes, pois o banco quer receber o dinheiro todo sem a possibilidade do cliente ter uma nova dívida com o banco, e isso pode compensar para você.

Também há a possibilidade do pagamento em parcelas fixas, com um valor que caiba no seu bolso e que não comprometa o restante da sua renda mensal. Lembre-se, pagar o mínimo da fatura é ruim, pois a dívida acumula novamente e dessa forma você pode acabar se envolvendo em uma dívida maior que a anterior.

4 – Em alguns casos, troque a dívida

Dependendo da situação em que você se encontra, trocar a dívida pode ser uma boa jogada. Pegar um empréstimo, com valor fixo ao mês e com taxas menores pode ser uma boa opção. Em muitas ocasiões, os juros do cartão de crédito ultrapassam os juros do empréstimo bancário, se tornando em alguns casos, uma opção à se pensar.

5 – Mude hábitos

A mudança de hábitos no ser humano se faz necessária ao decorrer do tempo, seja ela por necessidade, adversidades ou outros motivos. Com a sua vida financeira não é diferente, então, uma boa opção é criar planilhas de gastos e manter sempre uma atualização, assim, você terá controle do que foi gasto, do que entrou, do que é fixo todo mês, do que sobra… Assim, com um controle maior do seu dinheiro, você se livrará da dívida que tem ou dificilmente terá uma.

Se desfazer dos cartões de créditos que não são usuais no dia a dia é essencial. Quanto menos cartões você tiver, mais controle terá sobre o seu dinheiro. Os app’s dos cartões de créditos também são bem importantes para que nada passe despercebido. Ter uma verba extra, para casos de emergências também é algo muito importante.

Mais algumas dicas…

Cortar os gastos desnecessários é de muita importância, pois quanto mais dinheiro você tiver para negociar a sua dívida, melhor será. Estabelecer um teto de gastos é essencial para que haja o controle maior.

O CET é o valor total atualizado do quanto você deve pagar, desde o começo da dívida até os encargos, como as taxas de administração, seguros do cartão, os impostos, e etc. É obrigação da central de atendimento informar ao cliente o CET. Questione e queira saber todos os seus dados, o banco te informará e você pode se planejar melhor.

Veja também:

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.